Delivery com drones – uma realidade

Delivery com drones – uma realidade

Crédito: Domino’s

Em meados de 2013, a Amazon plantou a semente no imaginário popular: “vamos fazer entregas com drones”.

Já se passaram 6 anos e toda semana chegam novas notícias sobre empresas investindo e testando drones para fazer entregas. Então, por que está demorando tanto tempo assim? São várias as limitações técnicas e burocráticas que as empresas fabricantes enfrentam: espaço aéreo compartilhado com aeronaves tripuladas, risco de derrubar aviões e helicópteros cheios de gente, o perigo de um drone cair na cabeça de alguém no meio da rua, o uso de drones para carregar explosivos e armas, as baterias que limitam as longas distâncias, falhas de comunicação, entrega de produtos ilegais, entre outras.

Como pode uma tecnologia tão inovadora e desejada trazer tantos riscos e preocupações? A resposta é simples. Todos os perigos listados acima já aconteceram e ainda acontecem todos os dias. Os aeroportos vivem em estado de alerta por causa dos drones, os hospitais começaram a relatar atendimentos a pessoas atingidas por eles e os presídios recebem drogas, armas e telefones todos os dias por meio deles.

Avaliando o conceito do negócio, “fazer entregas com robôs voadores” é uma ótima ideia. Eles não pegam trânsito e não precisam de um humano para pilotar. Apesar não precisarem de altos investimentos, as oportunidades de economia e crescimento são maiores ainda. Por isso, grandes empresas enfrentam esses desafios e continuam desenvolvendo e testando drones especialistas em entregas. Isso porque essas companhias sabem que, cedo ou tarde, os governos vão liberar o uso dessas máquinas e todo esse investimento em pesquisa e desenvolvimento irá se pagar.

E este momento esta cada vez mais próximo. Drones já são usados em áreas muito remotas para entregar medicamentos, fazendas monitoram áreas gigantes para prevenir incêndios, engenheiros avaliam obras e estruturas com maior rapidez e segurança. Até órgãos humanos são levados de um hospital a outro para transplantes de urgência. Os EUA já possuem uma regulamentação, mas ela é considerada muito rígida. Enquanto isso, países europeus e asiáticos estão tomando a liderança, proporcionando maior flexibilidade para as empresas fazerem testes e venderem seus produtos e serviços.

Assim como todas as tecnologias inovadoras que vieram ao longo da história, os drones enfrentam resistência de governos e mercados, mas já se provam eficientes e inevitáveis. É impossível impedir os drones de conquistarem os céus.

Assista a este vídeo da CNBC explorando a fundo as mudanças no mercado de logística:

Crédito: CNBC

Quer saber mais? Clica nestes links:
www.aviacaobrasil.com.br
www.hypebeast.com
www.theverge.com
www.dronelife.com
www.france24.com

Já imaginou sua pizza chegando de drone?
Conta para a gente nos comentários aqui embaixo.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 0