O poder dos metais – a força do ouro, da prata e do bronze

O poder dos metais – a força do ouro, da prata e do bronze

Crédito: Arthur Maringoni

 

 

Conceito: Nana Bulgareli

A inspiração para esse editorial vem dos metais: ouro, prata e bronze. Os três têm aplicabilidades diversas, como na joalheria, em tecnologia, filmes, música, utensílios domésticos e até na medicina.

Vamos começar com o ouro. Esse metal precioso, talvez, seja o mais utilizado pela humanidade há milênios. Joias e até torneiras são feitas com ele. Hoje, é usado como símbolo de pureza, valor e realeza.

Talheres e até instrumentos musicais podem ser feitos de prata. Apesar de ter grande valor de mercado, se tornou popular entre mulheres que não abrem mão de acessórios.

O bronze é muito utilizado em esculturas há décadas por conta de sua resistência à exposição solar e à chuva. Acessórios e relógios feitos desse metal também caíram no gosto das mulheres mais antenadas.

Ressignificado

Mesmo tendo aplicações e utilidade tão conhecidas, esses elementos se tornaram inspiração para esse editorial. A ideia é que as pessoas percebam que mesmo tendo peculiaridades, eles têm qualidade e defeitos.

Cada metal tem pontos positivos e negativos, além de forças e fraquezas. Por isso, determinam o momento que são usados. A principal diferença entre eles é o valor. O maior exemplo disso está nas medalhas de competições. A de ouro vai para o vencedor, a de prata para o segundo lugar e de bronze, para o terceiro colocado.

Acreditamos que o valor desses metais simbolize muitas coisas para a humanidade, como o ego, por exemplo. Esse editorial mostra mais que o valor deles. Revela o que as pessoas realmente são.

Rótulos dispensáveis

Nós sempre nos impomos valores, por isso, nos consideramos melhores e piores a todo instante. Meninas e meninos que participam de campeonatos de futebol no colégio, as metas profissionais que chegam por meio de uma promoção, os desafios esportivos que nos colocarmos testar a própria capacidade. Com tudo isso, não percebemos que nem sempre seremos ouro, prata ou bronze o tempo todo.

Precisamos perceber e entender, além de realmente valorizar, que dentro de cada um de nós existe um pouco desses três elementos. Eles fazem parte da nossa existência, pois, assim como o ouro, a prata e o bronze, cada ser humano tem seu valor.

Qualidades e defeitos estão acima de ganhar ou perder

Todo ser humano tem qualidades que valem ouro, prata ou bronze. E isso não é ruim. Ao contrário, nos torna únicos. Então, cada um deve olhar dentro de si mesmo e descobrir que esses três valores existem, ainda que
escondidos lá no fundo.

E se hoje muitas pessoas se veem como bronze, talvez seja por falta de conhecerem a si mesmas, se entenderem, se encontrarem. Às vezes, enxergamos apenas o bronze, porque colocamos determinada habilidade na categoria desse metal. Evidentemente, é possível mudar esse jogo.

Se fizermos um esforço, olhando para dentro de nós, conseguimos classificar nossos valores como ouro, deixando a vida mais leve, feliz e completa. Não, isso não é uma supervalorização de nossas qualidades. É apenas uma maneira menos impiedosa de nos avaliarmos.

O propósito é acreditar em si mesmo

Portanto, acreditamos que, se cada um olhar seus valores e souber desenvolvê-los, a vida fluirá de uma maneira mais suave. Essa atitude garante que nosso aperfeiçoamento seja constante. E que o mais importante é termos em mente que nunca seremos 100% ouro.

A partir do momento que aprendemos que ouro, prata e bronze estão dentro de nós, é possível fazer com as nossas maiores qualidades – ouro – se sobressaiam. Mas é importante trabalhar tudo o que consideramos prata e bronze para extrairmos o melhor delas.

Isso significa que não somos melhores ou piores que os outros. Somos diferentes e únicos. E, muitas vezes, nos completamos. Respeitar a si mesmo é uma prática diária que exige um olhar mais focado para dentro, na alma, sabe?

Nós acreditamos que cada ser humano tem seu valor. E que acima de tudo são flexíveis, fortes e brilhantes, como os metais. Então, esteja aberto a se moldar, se encaixar, se encontrar.

 

Veja detalhes das fotos:

Crédito: Arthur Maringoni

Conheça os profissionais que fizeram esse editorial:

Fotógrafo
www.instagram.com/arthurmaringoni
www.arthurmaringoni.com

Make
Gabrise Fiordelisio

Modelo
Isabela Cetraro

Stylist/ produtora/ produtora executiva
Nana Bulgareli

Qual metal representa suas qualidades?
Conta para a gente nos comentários aqui embaixo.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0
DISQUS: 1